Baleia Azul

POR Fabiano Leithold 25/04/2017

O desafio mortal

Prezados pais,

Estamos vivendo numa cultura midiática e redes sociais. Muitos aplicativos, seriados, jogos tem entrado da noite para o dia na vida das nossas crianças e adolescentes. Ultimamente, temos ouvido sobre o Jogo 'Baleia Azul' que incentiva os participantes a viverem uma séries de desafios depressivos, mutilantes, que enfraquecem a  saúde mental e ainda culminam com o desafio final do suicídio do participante. Temos também ouvido de um seriado intitulado '13 reasons why’ que trata do suicídio de uma aluna adolescente motivado por bullying, dentre outros seriados com conteúdo negativo. 

Segundo, publicação  da Zero Hora na manhã de ontem (19/04/2017), o suicídio é hoje no RS a principal causa de morte entre meninas de 14 a 19 anos. A mesma publicação relata um estudo norte-americano feito em escolas de Ensino Médio, onde aponta que 17,7% dos estudantes já pensaram seriamente em tirar a própria vida, e destes, 8,6% fizeram tentativas.

Diante deste quadro, percebemos que estes  assuntos recorrente entre nossos  alunos. Muitos têm curiosidade, outros têm participado do jogo e assistido este e outros seriados sobre o tema.  Neste momento, várias pessoas em toda a parte do mundo estão se unindo para proteger seus filhos. Juntos, podemos ajudar muitas crianças e adolescentes para diminuir o índice de bullying, depressão, suicídio e homicídio. É preciso muita atenção para perceber detalhes do dia a dia da vida das crianças e adolescentes e fatores que contribuem para que acessem este tipo de conteúdo.

A Escola Adventista estará trabalhando para prevenir que as crianças e adolescentes caiam nesta armadilha. Além disso, sugerimos algumas dicas para o cuidado em casa:

1. Aproveite o feriado para passar tempo com seu filho conversando sobre estes assuntos (descubra o que ele sabe o que conversou com outras pessoas, o que ele pensa sobre o assunto e aconselhe).

2. Incentive seu filho a deixar o celular fora do quarto no período noturno. Isso contribui para que tenha um sono mais tranquilo e previne a curiosidade e acesso a estes conteúdos.

3. Caso perceba algum comportamento de risco (mudança de comportamento, perda de interesse em atividades costumeiras, isolamento social, irritabilidade, mudança do hábito de sono, etc.), aja pela proteção do seu filho. 

A escola se coloca a disposição para ouvi-los e ajudá-los neste processo de cuidado. Entendemos que prevenir sempre é o melhor remédio. Educação e prevenção andam juntas. Decida pela segurança do seu filho!

Desejamos a todos uma ótima semana!